Facebook do XerebeleTwitter do XerebelePinterest da XerebeleInstagram da Xerebele
Bem Vindo João Pedro e Vinícius Nicole Pietra João Lucas Ana Júlia Paulo Marcelo e Paulo Arthur
Nicole3 Nicole3 Nicole3 Nicole3 Nicole3 Nicole3 Nicole3

Novidades

Seu bebê chupa o dedo?

Seu bebê chupa o dedo?

No início da vida das crianças, a sucção promove segurança e aconchego. Afinal, remete diretamente ao aleitamento materno, ou seja, o momento em que o bebê se sente mais protegido, nos braços da pessoa em quem mais confia. Por isso, não demora muito para as crianças descobrirem que chupar o dedo é uma forma de obter conforto emocional. E não há nada de errado com isso, desde que não se torne um costume frequente nem se estenda além do primeiro ano de idade. “Esse hábito pode ser um sinal de dificuldade para enfrentar uma situação nova. É comum, por exemplo, que uma criança retome o gesto com o nascimento de um irmão”, explica Mariana Nudelman Frayha, pediatra do Hospital Israelita Albert Einstein (SP).

Segundo Mariana, chupar o dedo depois do primeiro ano de idade pode causar alterações de fala, atraso do desenvolvimento e amadurecimento da mastigação e deglutição, provocando problemas na aceitação de determinados alimentos. "Nesses casos, é necessário o auxílio de psicólogo, fonoaudiólogo e dentista”, alerta a pediatra.

O grande problema é que o dedo, diferentemente da chupeta e da mamadeira, não pode ser dado ao Papai Noel ou ao Coelhinho da Páscoa - um recurso usado por muitos pais e mães para auxiliar no processo de retirada. Faz parte do corpo e, por isso, é mais difícil de a criança largá-lo. A dica, então, é desencorajar o costume assim que ele aparecer. Ofereça alguns objetos para o bebê segurar, pode ser brinquedos ou mordedores, e estimule brincadeiras com as mãos. Aos poucos, isso faz com que a criança perca o interesse no dedo.

Oferecer outra forma de conforto emocional também é uma alternativa, dependendo da dinâmica familiar e das preferências da criança. Um objeto de transição, como um paninho ou um ursinho, por exemplo, pode colaborar. Se nada disso surtir efeito, a pediatra indica algumas manobras para fazer em casa, como:

- Interrompa o hábito durante o sono
Observe o comportamento do seu filho enquanto dorme e sempre que perceber que ele leva o dedo à boca, tire cuidadosamente para que ele não acorde.

- Descubra os momentos do vício
Muitas vezes, o hábito está ligado a uma situação de insegurança ou medo. Perceba quando isso acontece e, na próxima situação, peça que ele segure um brinquedo ou proponha outra atividade.

- Valorize outros comportamentos do seu filho
Para que ele não pense que consegue seu olhar apenas chupando o dedo.

- Converse na escola
Se o seu filho já está matriculado no berçário, fale com o responsável para que observe e interfira sempre que possível, oferecendo algo para ele segurar ou sugerindo uma brincadeira.

Atenção: métodos agressivos, como passar pimenta no dedo ou outras substâncias de sabores desagradáveis, estão fora de questão. Além de não darem resultado, traumatizam a criança.

Fonte: Revista Crescer

Outras Novidades

Newsletter

Cadastre seu e-mail e fique por dentro de todas as novidades.

www.xerebele.com.br

Av. Washington Soares, 4040
Loja 18 - Shopping Molina
(85) 3022.0602

Mauna Comunicação Interativa